Descubra o que é a “inflamm-aging”, uma comum inflamação crônica que acompanha o envelhecimento.

O envelhecimento humano é inevitável, dinâmico e progressivo, sendo resultado do desgaste do corpo (células). Algumas perdas fisiológicas progressivas são comuns neste processo, mas não devem ser encaradas com naturalidade, uma vez que elas podem ser atenuadas.  

A imunossenescência associada ao inflamm-aging

Por exemplo, o desequilíbrio da resposta imunológica do paciente é consequência do fenômeno chamado imunossenescência – significativo declínio da função imunológica que predispõe o surgimento de doenças autoimunes, menores respostas a infecções e a outras agressões ambientais.

A imunossenescência é um dos distúrbios associados ao inflamm-aging – estado de inflamação crônica de baixo grau, celular, que é um dos mecanismos centrais do envelhecimento.  

O inflamm-aging pode ser detectado pelo aumento em duas a quatro vezes dos níveis séricos de medidores inflamatórios – este estado aumenta a probabilidade do paciente desenvolver uma gama de patologias crônico-degenerativas; obesidade; neoplasias; cardiopatias; diabetes, entre outras.

Relacionado: Modulação hormonal e a pós-graduação em Envelhecimento Saudável

De regra, as doenças degenerativas serão tratadas por uma equipe multidisciplinar, obviamente. No entanto, é muito bem vinda a presença de um médico que tenha conhecimentos profundos sobre o envelhecimento saudável, uma vez que esse profissional tem a ideia da prevenção sempre presente, olhando o paciente como um todo e reconhecendo hábitos errôneos, sintomas e, precocemente, as patologias, o que possibilita intervenções que promovam qualidade de vida e, provavelmente, longevidade.