As doenças endócrinas estão entre as mais comuns do Brasil. Destas, o diabetes mellitus está em primeiro lugar. A ocorrência da patologia aumentou em 61,8% no País entre 2006 e 2016. Parte desse resultado se dá pelo aumento da obesidade ― 60% nos últimos 10 anos. Como é possível imaginar, essas doenças estão relacionadas, mas como o endocrinologista pode atuar no combate à obesidade e diabetes?

Tendo como uma das principais causas disfunções endócrinas, a obesidade é um dos principais fatores para o diabetes do tipo 2. Isso porque o aumento de gordura eleva a produção de insulina pelo pâncreas, o que pode não só sobrecarregar a glândula, mas tornar o organismo resistente à ação do hormônio. Além disso, a patologia é considerada epidemia mundial pela OMS. Já no Brasil, estima-se que 35% da população possa ficar acima do peso até 2020, tendência semelhante a dos EUA e México.

O endocrinologista é o médico qualificado para atuar com o processo de emagrecimento do paciente obeso. Ele atua combatendo comorbidades e aponta ou não o uso de medicamentos e como lidar com os efeitos colaterais. Além disso, também é o responsável por indicar se há necessidade de cirurgia bariátrica.