Se você está pensando em uma pós-graduação ou residência médica, sabe que há um número gigantesco de especialidades onde pode atuar. Nesse contexto, trabalhar com Tricologia pode ser uma excelente opção.

Além de estar despontando no momento, essa subespecialidade da Dermatologia tem um amplo público. Homens e mulheres de diferentes idades procuram por tratamentos que possam reverter a queda de cabelo.

Ainda não está convencido? Confira 3 motivos para trabalhar com Tricologia:

Por que trabalhar com Tricologia?

Entenda por que a Tricologia pode ser uma excelente opção para sua carreira:

1. A quantidade de pacientes é alta

Segundo a OMS, metade dos homens sofrerá com a calvície até os 50 anos. Entre os 70 e 80 anos, a taxa sobe para 80%. Só no Brasil, 42 milhões de pessoas sofrem com a calvície. Isso porque o número de mulheres que sofrem com alopecia tem aumentado. Há também casos em que a disfunção começa a se manifestar na infância.

Apesar da grande quantidade de pacientes, ainda há um número muito pequeno de profissionais atuando na área. No gráfico feito com dados divulgados pelo Ministério da Saúde, a Tricologia nem aparece como uma das áreas.

No entanto, a demanda tende a aumentar não só pelo envelhecimento da população, mas pela preocupação com a própria aparência.

2. O profissional trata a origem do problema

É muito comum que o paciente trate a perda capilar sem entender o que o levou àquela situação. O tricologista tem, por obrigação, investigar as possíveis causas das alopecias e dermatite seborreica. Por isso, o tratamento não é apenas paliativo.

Algumas das causas mais comuns da queda capilar são:

  • substâncias químicas, principalmente para modificar a estrutura do fio;
  • alimentação;
  • hormônios;
  • estresse.

Para um grupo de pesquisadores do Hospital Geral de Massachusetts, as causas da perda capilar podem ser dividas em 7 grupos:

  • eflúvio telógeno: condição estressante que causa o enfraquecimento temporário do cabelo;
  • origem nutricional, que pode acontecer por fontes de nutrientes ou
    suplementos industrializados;
  • problemas hormonais;
  • medicamentos;
  • infecções;
  • patologias de relevância;
  • patologias malignas.

3. Há muitas opções de tratamento

A calvície não tem cura, mas pode ser tratada e até revertida, dependendo do grau. Existem diversos tratamentos para o problema da queda de cabelo — cada um adequado a um tipo de problema.

Outra novidade é que, recentemente, descobriu-se que um remédio inicialmente utilizado para tratamento de osteoporose pode ser a cura para a calvície. Pesquisadores ainda estão em fase de estudo, mas os resultados são animadores.

Os mais conhecidos atualmente são:

  • antiandrógenos sistêmicos, como a ciproterona e espironolactona;
  • medicamentos tópicos, como minoxidil e 17 alfa estradiol;
  • medicamentos orais, como a finasterida;
  • complexos vitamínicos;
  • transplante capilar;
  • lasers.

Como você viu, trabalhar com Tricologia é atuar num ramo de baixíssima concorrência, mas de alta demanda. Além disso, a tecnologia tem avançado rapidamente para que seja possível oferecer o melhor e mais eficiente tratamento ao couro cabeludo.